VERÃO

Chiclete e suor
Nada como uma noite escaldante
Para eu fingir que sei de cor
O sabor da tua pele
O cheiro do teu suor
A rima vulgar, fugidia
Fulgida nos corpos nus
Entalados no mato
Agreste sufoco

Mascado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

0

)