esvaziar a alma
de toda essa sagacidade
torpe míope

acabrunhada
no marasmo
numa vida
mofada

sopras pó
entopes a geladeira
enterras a cremalheira
no melão

e se te apraz
lá vais subindo
que nem um balão
de s. joão


até à penumbra celestial
até rebentares
e dares conta, do teu fugaz
atroz esterco repelente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

0

)