Doar a Dor

Dilacerar as portas da alma

Sangrar e lacrimejar

Sofrer e esquecer

Os esqueletos pecadores

As lactentes dores

No murmúrio do anoitecer

O prazer, na parede escrever

Um grito sussurrar

E não, não morrer já

Só desaparecer,

Quando por mim toda a dor

Que tiver se doar.