Infinito

Desprender a maré
Do tal intenso prazer
Apesar de não ser
Aquilo que é

Ocultar o desejo
De conhecer o mundo
Num bocejo
Lá bem no fundo

Navegar nos confins
Desse mar infinito
Acordar a Terra com um grito.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

1

)

  1. AGLAÉ GIL DA SILVA

    seu blog é maravilhoso!bom tê-lo descoberto.um abraço.aglaé.