Chovo, vou num fio

Que pousa na pétala branca
De tão bela flor no jardim vazio
Inundado, a porta tranca

Ao escoar lento dum rio
Vagueio nas entrelinhas da memória
Solto um fugaz desafio
Mergulho nessa tua história

História presa por um fio
Que coso e tu descoses
Violento sopro dum calafrio
Dessas boas almas ferozes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

0

)