As almas condenadas

“Uma carta por escrver

Um beijo por roubar

Uma viagem por fazer

Um coração para amar…”

Vou-te descubri nalgum lugar, ao amanhecer, num banco de jardim, vamos ser dois num só quadro por pintar, ao soar da melodia, os passarinho a piar, uma carícia, um beijo intenso soltar, nos teus lábios os meus poisar.

Vamos caminhar serenamente pelo mundo, pelo jardim, pela rua, pela vida, pela estrada que nos conduzirá a eternidade.
Vingamos a vida como ela se vingará de nós e somos felizes talvez um dia num banco de jardim…