Logo depois do silêncio,

chega a escuridão,

pela estrada que guia a solidão…

Vou simplificando e dificultando

as vidas que vivo e que me deixam viver…

Sem negar a história que te continuo amando.

Obrigo-me a isto, a nada, a ninguém…

Tudo isto não passa de um cismo…

Que se profere contra alguém.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

1

)

  1. Anónimo

    est poema tocou m…mt lindo msm :)gsteims mt trist tb :Sespero q n t sintas cmo o poema…bjinhos fofos d alguem q nunca t esquece****