Velhos Rascunhos

Na margem do sonho,

atravesso lentamente o cais…

que rapidamente me conduz

ao sofrimento…

Reescrevo os meus versos,

leio o diário,

absorvo as diferenças…

e aniquilo-as,

num lugar bem distante

na minha alma.

Distorço os meus sentimentos,

as palavras, a música e a cor,

tudo está coordenado…

para este rascunho sortir efeito.

Pregado numa teia,

lido por invisíveis…

quando poderei ser lido por alguém mais?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

0

)