sonhos furtados

descreva por palavras

o que pretenda ouvir

encolha os ombros

sem sombra de dúvida

para ninguém saber o que está a sentir

Eu estou descalço à beira da estrada. Sem fazer nada.

Imóvel num retiro sucinto. Se não digo mais,

É porque não sinto que deva.