mambo sapo seco

os ecos secos dos dias
tente chutar na escuridão

as placas frias
do  tempo sentando-se
no meu peito

como um sapo venenoso
passando a língua na mosca
acelerando a respiração

forçando-a a deglutir
o que não tem…
um perfume efetivo

a vinagre balsâmico