Suspiro sílabas solúveis

Suspiro palavras dolorosas,
tristes como as minhas mágoas,
O silêncio das almas…
Que se expande no vazio,
Vomito palavras amargas
que em mim me provocam náuseas.
Mergulho no incerto e eu mesmo me submeto
ao afundar dos meus versos, das minhas sílabas,
que se dissolvem num momento profundo.