Realizador de Sonhos

No sonho leve,
de uma madrugada fria…
Envolvo-me numa ficção, em que eu próprio dirijo a acção.
Viajo clandestinamente pelo meu ser,
Desvendo peças soltas…
do meu puzzle, a que chamo vida.

Vida que vivo livremente…
em torno de mim próprio
e dos outros puzzles que me rodeiam.

Não pretendo ser,
algo inútil,
misturar-me,
solidificar-me,
mentalizar-me,
com todos aqueles que me amesquinham, me aborrecem.

Quero ser grande, amortecer minha alma
E simplesmente ser realizador de sonhos.