Incontrolável

Impotente, serei talvez um dia…
Carente, sou quase todos…
Doente, dia-sim, dia-não.
Sacrificado, de cinco em cinco minutos.
Pacífico, talvez umas oito horas por dia.
Acorrentado, um dia livre, para sempre.
Controlado, quase nunca…
Angustiado…
Nunca!?
Levo uma vida animada…
Afinal…
Sorrisos cínicos até estam na moda
Viajo de hora em hora
até ao paraíso e passado meia hora
aterro silenciosamente num quarto escuro e sombrio…
Depois vou velejando até um lugar qualquer;
Até acordar…e sentir o sacrilégio a passar…numa manhã sorridente de um dia frio de SETEMBRO.