Chamar alguêm

Com um grito sorrateiro
obedeço ás ordens de todos
Porquê ? pregunto eu porque é que toda a gente chora sem razão?
Chamar alguêm para incendiar o solitário coração,
que adormece gélido depois de um dia monótono,
mas não dexiste em encontrar o grito da esperança,
uma chama que arde e eforverescente se torna eterna.
“Com que então a morte soa crua e aparece de repente, sem ninguêm dar por nada?
Apenas sei, que infelizmente nada sei!
Fartei-me das melancólicas retóricas e teorias,
Que fazem da vida um ciclo…
Sem pés nem cabeça descuidei-me e então?
Caí em tentação, não pude ser feliz,
num mundo gelado no verão?
Chamar alguêm, para condenar-me a eterna Solidão!