No Silêncio da Madrugada

Ás vezes no silêncio da madrugada,
Esconde-se uma fé apagada na escuridão
O segredo tardio renasce das cinzas
E cobre-se de pó ocultando toda a verdade
Seria um dia apanhado ao raiar do dia
Como um peixe preso na aramdilha de quem o quer comer.
As memórias desvanecem e mergulham na escuridão,
e junto com o poeta na madrugada celeste,
são enterradas no fraterno caixão!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

0

)