antro por sangue carne sobre onze

como tens tempo para meditar
para ser a trama que te enreda
os passos moles moldados na pedra
o arame suado que cheira a sangue
a medalha putrificada de bronze
o terceiro grau em riste
a linha travessa que omitiste
a raiz quadrada de 11
como tens dinheiro para mediar
para ser o traço que te esfarela
os parcos foles cuspidos na serra
o alarme farpado que cheira a carne.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

0

)