BOTANIQUICES

Refúgio premeditado de indolência frívola

Canito amedrontado nos florais canteiros

Abandonado ao repouso do dono

Passarinhando no lago fátuo

Mergulhando as carraças num esgoto

Maldito esgoto temperado, afogadas jazem

Nas intermitências aquáticas as rãs e os sapos

Afligindo o limão intacto nas paredes transparentes

Do temeroso líquido vácuo.