Chamem-me João!

Súbito desencontro
Adornado a preceito
Pela palidez enrugada
Do povo insatisfeito
Firme sombra trespassada
Vozes que dançam em redor
Da pintura sem cor
Plutão que guia na escuridão
Seu discípulo desconcertante
Não o chamem de arrogante
Chamem-no de João.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Comments (

0

)